quarta-feira, 6 de abril de 2016

O fundo do poço é um lugar frio, escuro, solitário, úmido e silencioso. Lá você se debate contra as paredes, grita, chora, mas nada acontece, apenas se cansa. Quem já esteve lá ou ainda está sabe do que eu estou falando. Escrevo essas linhas numa forma de desabafo pois como eu disse o fundo do poço é solitário e silencioso. A única voz que você escuta é a sua, que insiste em ecoar na sua cabeça com as mesmas palavras: E agora? O quê que eu faço? Eu não mereço isso! Deus, me ajude!
Não é fácil. O fundo do poço pode representar várias áreas da sua vida, a financeira, a amorosa, ética, moral, espiritual. é um caminho quase que sem volta onde tudo o que queremos é que acabe logo, seja sair dali ou apenas deitar e nunca mais acordar. Muitos dizem que é uma situação passageira, que dias melhores viram, mas será que é assim mesmo? Tem tempo de duração? É uma maldição? Quando estamos em uma situação difícil é comum nos recorremos a fé. Ela se torna o nosso alicerce, nosso alimento, nossa esperança. A bíblia em vários momentos nos conta Histórias de homens e mulheres que passaram por momentos difíceis, estiveram no fundo do poço. A mais famosa dessas histórias é sem dúvida a de Jó, lógico que também a vário depoimentos de pessoas comuns que passaram por situações terríveis quase que inacreditáveis e deram a volta por cima, com muita luta mas deram. As vezes é preciso olhar para elas e ver como elas superam seus desafios de vida, usar como um Know How, assim quem sabe nos motivamos e tomamos as atitudes necessárias, nada vai se resolver sozinho. Hoje me encontro bem no fundo do poço e ele me parece ter uma areia movediça no fundo pois me sinto a cada dia mais no fundo. Hoje o que me dá força é a fé, sem ela eu nem sei o que teria feito, quem está próximo parece que sente prazer em te afundar mais ainda, como se ela nunca passou por algo semelhante ou nunca vai passar, tomara que não. As pessoas de fora não sabem lidar com isso, acho que essa é a razão delas serem tão grosseiras e incompreensíveis com quem está sofrendo lá no fundo do poço. Querem de resolvamos assim, da noite pro dia. Não é tão fácil assim, alguns dão mais sorte tem quem apoie, mas muitos não tem esse privilégio, tem que caminhar sozinho e aguentar as pedradas. Mas há quem olhe por nós, Deus, ele não vai resolver tudo sozinho porém nos dá força e coragem, abre portas, e sempre não é dá forma que queremos, mas sim da dele. é preciso aprender a respeitar as vontades de Deus, ele não é como nossa a mãe ou nosso pai, ele é melhor. Se você se encontra sem expectativas deixe Deus te guiar, deixe ele agir, sem pressa, é assim que as coisas funcionam, espero que se você se encontra em uma situação difícil, que essa tempestade possa se dissipar e o sol brilhar na sua vida outra vez.  

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Vai um salame ai!

E ae pessoal tudo bem? ando meio sumido eu sei, mas como em toda retirada o retorno vem sempre carregado de boas historias,bom a primeira delas já faz um tempinho mas foi bem bacana, fizemos uma viagem para tocar em uma cidade vizinha, houve um grande preparo para esse evento, só faltou a gente ir para granja comary, horas e horas de ensaio e aquela coisa toda, chega o grande dia, tudo preparado rumamos ao nosso campo de batalha. Chegamos na tal cidade e vem a pergunta de praxe - e agora onde é o lugar do show? encontramos com a produtora do evento e seguimos para o lugar, sinceramente não da pra entender por quê são escolhidos lugares esquisitos, longe de tudo, e quase impossíveis de serem encontrados para realização de certos eventos, a festa era para comemorar os 10 anos de um site sobre baladas, chegando ao lugar fomos dar uma checada no local, era um sitio até bacana, tinha dormitórios cozinha e uns banheiros, os banheiros, esses são os espinhos na minha carne, até hoje nunca encontrei um descente nessa caminhada como músico, nunca tem lugar pra você colocar a toalha, boxe é luxo, se você deixa a roupa no chão era, água quente é querer ser milhionario mas tudo bem, tudo pela música e pelo cache também . Equipamento retirando da van, lá fomos nós passar o som, estrutura excelente,pelo menos isso, começamos a tocar e pra variar os problemas começão a aparecer e pior de tudo logo no essencial, a energia, o lugar tinha milhões de freezers ligados, luz, movies, bolas inflaveis, globos, e mais.... bom acho que os produtores pensam que a hidreletrica estava por conta deles tudo bem faz parte, enquanto a gente tentava passar o som os equipamentos iam desligando e ligando, tantas horas de preparativo para chegar nisso, tudo bem faz parte, de novo! Depois do som passado eu a tentativa dele nos refugiamos aos dormitórios cama era uma coisa que não faltava, tomamos nossos banhos nos tais banheiros, bom que ninguém morreu eletrocutado, esqueci de comentar das instalações eletrica dos mesmos, todo mundo de banho tomado, cabelinho penteado ou não também aparece uma misteriosa cueca, de quem será? ela estava solitária no canto, quando chegamos ela não se encontrava lá, um trablho para o homes, agora vem a parte boa, como todo ser que respira precisamos de comida, comida e mais comida, mas cadê a bentida, horas a fio de espera e nada, logo chega a cantora - e ae pessoal já comeram? sorte dela ninguém ali ser um serial killer, logo de imediato providenciaram o nosso lanche, primeiro veio os pães, aqueles tipo de forma só que menores, veio os refrigerantes, duas cocas e duas coisas estranhas de nome não identificado, por fim o desastre uma sacola com algo dentro, parecia uma bola, quando se abre a sacola uma bola de salame, da pra acretidar?! o trem parecia uma bola de handboll, é nessas horas que você se pergunta, - isso é relamente serio? - o quê que eu estou fazendo aqui? sejamos francos, está ai a explicação do porque tanto astro é zé mané, dá pití, faz exigências loucas, sem lógica isso, matamos a fome com coca mesmo, coca é igual bombril mil e uma utilidades!! piada velha, enquanto isso a festa rolava do lado de fora e o juizado de menores ia "grampeando" a molecada, e qual o banheiro que eles usavam o nosso, um vai e vem de gente tudo já estava complexo mesmo, ai nosso "film maker" começou a fazer altas perguntas para um dos carinhas do juizado, já estava vendo a hora que iam era prender ele, passado isso tirei um cochilo, chegada a hora de tocar subimos ao palco e olha que beleza a energia se estabilizou, deu tudo certo, o show em si foi muito bom, as horas de ensaio deram resultado, mas a bola de salame!!!


quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Minha peregrinação

Última tocada do ano, depois dela, férias, tão desejada, tão sonhada, quisera eu que tivesse sido tão simples assim. Pra maioria dos eventos que eu toco vou sempre de moto, mais ecônomico e rápido, e como não preciso levar o instrumento fica mais fácil e de quebra levo a dona Maria, na tocada em si foi tudo muito bem, estavamos até contentes pois era o último show, necessitavamos de um descanso, depois de tocar por horas, fomos nós embora, sempre levo minha namorada para casa dela depois dos shows e ela mora numa cidade vizinha a minha, bem próxima, foi aí que o drama começou, a moto já não estava lá essas coisas, a roda de trás já dava sinais de fadiga, mas como bom brasileiro pensei comigo: "- ah! dá pra ir..." no meio do caminho o que que acontece? a roda de trás quebra, quando a gente passa de carro por alguém que está com o veículo quebrado nunca imagina o sufoco que a pessoa ta passando, só quando acontece com a gente que ficamos mais digamos, sensiveis a situação alheia, bom não havia como eu seguir na moto com a minha namorada, estavamos a 3:00 hs da manhã no meio do nada, numa rua com moteis só pra ajudar, o jeito foi dar meia volta e empurrar a moto, e nessa altura do campeonato já estavamos em outra cidade, tinhamos só que voltar pra minha empurrando a moto. E lá fomos nós eu e minha girl caminhando e ligando para todos os números de moto taxi que avistamos nas paredes, e nada tudo desligado até que ligamos para um guincho, você acredita que o camarada que me atendeu teve a coragem de falar que não ia dar pra ele ir pegar a moto por que tava cheio de serviço!!!! as três da manhã!!! Carro da policia passou por nós e nem perguntou o que estava acontece, olharam e foram embora. Bom já que não tinha jeito fomos empurrando mesmo, no meio do caminho encontramos um lugar onde ficam "concentrados os moto taxi" mas estava fechado, tentamos o número pintado na parede e então, o telefone é atendido, uma voz meio longinqua misturada com a de um orgro recém acordada (você já ouviu a voz de um ogro recém acordado???), conseguimos o transporte para a minha namorada, eu decidi então arriscar ir montado na moto, você já deve ter visto algum motoqueiro pilotando a moto montado no tanque, bom foi assim que eu fiz, ou pelo menos tentei, na primeira tentativa a corrente da moto soltou, como era um lugar meio tenebroso preferi empurrar a moto até um lugar mais claro, já tinha feito isso mesmo, mais uns trezento metros não iam me fazer mal, foi meu castigo por não malhar, chegando a um local mais iluminado concerto a corrente e lá vou eu dando uma de palhaço equilibrista, enquanto ia tentado dar uma de astro de circo, minha namorada ja em minha residencia ligava para a cantora com quem eu toco, pra pedir um socorro, contato feito a cantora e seu fiél escudeiro foram se encontrar comigo, quando nos avistamos ela foi me servindo de escolta, eu sentado em cima do tanque da moto tentando guiar e ela no carro filmando minha desgraça, andamos assim por um bom caminho até a moto decidir estourar a camara de ar e quebrar todos os raios, lá fomos nós empurrar denovo, mas agora estava mais dificil com o pneu furado e sem a maioria dos raios a moto parecia ter dobrado de peso, o bom que tive compania pra dividir meu fardo, enquanto eu andava 200 metros empurrando a moto o fiel escudeiro da cantora empurrava 25, mas já foi de grande valia, o cara não tinha nada haver com aquilo e ainda ajudou, nessas horas é que a gente sabe quem realmente são nossos amigos, depois de muito suor, muitas cantorias de procissão, estavamos chegando em casa quando a mais ou menos 100 metros da minha casa a corrente travou e a roda parou de rodar, olha que bom! melhor impossivél, minha namorada teve que sair da minha casa pra vim ajudar a empurrar a moto, enquanto um guiava na frente, iam dois levantando a traseira da moto e empurrando ela, esses últimos metros foram penosos, a luz do fim do túnel nunca que chegava, parecia que só se afastava, mas quase toda história tem um fim e essa depois de todos os pecados pago a lá opus dei, chegamos em casa, alivio! na outra semana já mandei pra concertar, quando o mecânico chegou na minha casa pra transpotar a moto até a oficina ele deu uns dois empurrões na moto e a roda destravou, assim em um passe de mágica, moral da historia nunca confie no "acho que dá". Em 2010 mais historias.

Xou da XuXa

Eita, fim de ano, casamentos que beleza muitas historias, dessa vez vou ser um pouco mais breve, sinceramente não estou com muito animo de escrever, ferias traz consigo um sintoma meio chato, a preguiça rsrs, bom no ultimo casório do ano, até que não houve contra tempos, todo mundo chegou no horário, som montado e funcionando bem, apenas eu que tive uma guerra ferrenha com as minhas guitarras que por uma determinação de ERA elas não afinavam por nada, mas deu pra fazer o show, os convidados estavam animados tocamos em alto e bom som, só quem alem de adultos haviam os baixinhos, pois é baixinhos remetem a quem?? pensa que você consegue! lembrou, em outros paises ela é conhecida como rainha dos altinhos, depois dessa dica não é possível ?!! rsrs. Bom lá estávamos tocando quando de repente alguém teve a brilhante ideia de dar aos niños aqueles briquedinhos que fazer bolhas, então em um piscar de olhos o palco estava cheio deles, soltando bolhas de sabão por todo lado, parecia mais que estávamos tocando no show da xuxa, nem era no planeta, era no show mesmo, só não digo que me senti uma paquita porque isso pega muito mal, paquito é pior ainda convenhamos, pescou ?! sei que você é inteligente rsrs, outra coisa que acho curioso em casamentos é quando eles param tudo pra que todo mundo veja umas duas horas de filme de fotos!!! pra que???? isso é chato pacas, não façam isso, ninguém gosta, o povo esta ali pra beber e comer, apenas isso.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Casorio e mais casorios

Bom chegou mais um final de ano e com ele os casamentos, com certeza terei muitas historias pra contar, o melhor sempre acontece nos casórios, tia da noiva achando que é a estrela, tiozinho bêbado fazendo dancinhas malucas e por ai vai.
O primeiro acontecimento da saga que se inicia foi se realizar numa cidade chamada Ubá, a terra dos moveis, segundo as placas, fica próximo de ... de ... ixi esqueci o nome, deixa isso pra lá. Pra começar a aventura, tudo já estava dando errado um dia antes da partida, estranho seria se estivesse tudo ok, o carinha da van deu pra traz (sem duplo sentido hein), então a cantora que também é quem corre atraz da logística teve que dar seus pulos, no fim conseguiu, acabou arrumando uma van. No dia da partida estava tudo ok, meu equipamento todo separado organizado mas aquela sensação de que algo estava ficando para traz insistia em me perseguir, só que eu não conseguia descobrir o que era. Mochila nas costas livro na mão fomos encontrar com a van, fomos porque estava eu e o técnico de som, que a nossa sociedade do anel se equivaleria ao Aragorn, todos na van vamos embora, e lá ao longe nuvens negras estavam a nossa espera, um mal sinal, não sei porque as pessoas teimam em se casar nessa época tão chuvosa, parecem que não estudaram geografia, bom da minha querida cidade até o local do cujo já dito são umas 5 horas de viagem, ao longo do caminho a chuva sempre despencava sobre nós e pra variar dentro da van ia passando o DVD da Pitty, chuva do lado de fora Pitty do lado de dentro, o que a gente não suporta por amor ao trabalho não é mesmo?!.

Chegamos a cidade e só tínhamos um nome e um telefone pra encontrar o local, ai começa a peregrinação pela cidade, todo músico tem um pouco de bandeirante dentro dele. Vou dar um salto na nossa historia aqui se não isso vai virar um livro e não um post, chegamos ao local, um pesque e pague, fomos adentrando pelo local e avisto uma grande tenda e la dentro um palco, de cara deu pra perceber que la seria o nosso ato, mas o que incomodava é que era gramado o local, e se lembram da chuva? pois é, não toco mais no assunto. Almoçamos e descarregamos o nosso equipamento, enquanto o som não chegava, foi decidido que iriamos para o hotel e retornaríamos em uma hora ou duas, não me lembro, e assim foi feito, era combinado que antes de voltar tomaríamos nossos banhos e levaríamos as roupas pra nos aprontarmos lá, eu e mais dois músicos da banda assim fizemos e os outros membros da equipe não, por isso é que quase sempre da "merda" depois, voltamos para o pesque e nos deparamos com o som, bom se é que aquilo pode se chamar de som, uma coisa monstruosa pro local um monte de potencia e tal, mas som que é bom mesmo nada, até o som do carro da pamonha era melhor, ai começa o stress, vou montar meu equipamento e cadê a caixa da guitarra? a caixa do baixo? os microfones? isso ja estava virando a brincadeira do walle, tivemos que ligar tudo em linha mesmo e sem direct box, ficou uma beleza, o dono e operador do som era chamado de bolão, mas na nossa historia chamaria ele de smigol mesmo, a principio queria ajudar mas no fundo estava só nos prejudicando ai entra em cena nosso aragorn, ele se remexeu lá e deu um jeito do som funcionar um pouco melhor, quando fui montar meu som me lembrei daquela sensasão de estar esquecendo algo, extensões, e fui me recordar dessa sensasão quando fui tomar banho no hotel, cadê o meu chinelo?? pois é depois fica doente e não sabe porque. Som passado e montado, os membros da equipe que ainda não tinham tomado retornaram para o hotel, ai que começou o drama da historia, enquanto eles foram se arrumar eu, mais dois músicos e a namorada de um dos músicos ficamos no local aguardando a galera retornar, ate ai não havia problema algum se não pelo motivo de que eles demoraram duas, duaaaaaaasssssssss horas pra voltar, ai você esta se perguntando - mas o que que tem isso? Bom, o resultado é que o casamento foi atrasado em duas horas, só isso, se os padrinhos fossem mutantes a lá ciclope eu não estaria aqui lhes escrevendo essas linhas, era cada olhar mais fuzilante que o outro e eu não tinha nada a ver com o que estava acontecendo, depois da espera finalmente eles reaparecem e o casamento começa acha que isso é o fim? não, não era, ai o bolão e seu som fulera começaram a agir, um retorno que para aqui, uma potência que pifa e afins, ah ia me esquecendo, a chuva descia que era uma beleza, acabei voltando no assunto, noiva de barro até a cabeça, noivo doidão dançando o créu querendo dar o créu, se é que vocês me entendem, no fim deu tudo certo, o nosso operador de som aragorn salvou o show, todo mundo gostou e tals, então chegada a hora do retorno, ja que tínhamos acabado, voltamos ao hotel, depois da galera da banda ter curtido a festa e eu mais o moto terem dormindo ate baba na van, dormimos e voltamos para casa depois do almoço, almoço armadilha, daquele que você paga um preço único e pode comer a vontade mas depois de umas garfadas você se sente entupido, na volta um sol estalando lá no céu e adivinhei o que estava passando no dvd? EXALTA SAMBA!!!! é mole! Sol forte do lado de fora e pagode do lado de dentro, te falar viu!! Tudo pela música!